Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Coroa com pau durão

Eu acho que sempre senti atração por homens mais velhos, não idosos, mas ao menos com idade para ser meu pai. Desde pequeno eu ficava imaginando como era o pau dos meus tios e dos vizinhos, mas nunca tentei nada com eles.

Essa historia ocorreu no começo de 2013. É a historia de como foi o primeiro encontro que eu tive com alguém que conheci online, pode parecer ironia, mas foi através do disponivel.com. Na época eu tinha 19 anos, ja havia feito sexo com outros homens, mas nunca com alguém desconhecido, nunca havia tido um famoso fast-foda.

Lembro que na época eu vivia em salas de bate-papo, no uol, chatroulette etc, procurando caras para bater punheta na cam. Até que resolvi criar o meu perfil no Disponivel.com para ver se dava em algo.

No primeiro dia, ja me interessei por um cara que me mandou mensagem, nos adicionamos no skype, conversamos via cam. Ele era um coroa bem cuidado, uns 48 anos, não tinha corpo definido, mas não era gordo, era um homem normal. Cabelos grisalhos, mas em parte loiros. Um rosto agradável, 1,80m, me disse que era versátil mais ativo.

Durante nossa primeira conversa, ele ja me convidou para visita-lo. Me disse que morava perto de uma estação do metrô, era noite e eu não podia sair de casa, mas eu topei visita-lo no dia seguinte pela manhã.

Assim que acordei, ansioso para sair de casa, tomei banho, fiz a chuca só para garantir (ja que não sabia se seria atv ou pass) e me arrumei para sair de casa.

Havíamos marcado de nos encontrar na catraca do metrô, assim que cheguei na estação eu mandei mensagem para ele e ele me disse que ja estava me procurando.

Quando eu o avistei, ele estava usando uma camisa regata, bermuda e chinelo. Eu gostei do que vi, mas não disse nada, apenas cumprimentei com um aperto de mão e conversamos sobre o livro que eu estava lendo na época "O mundo de Sofia", ja que eu levei o livro pra ir lendo no transporte.

Chegando no prédio, subimos de elevador e entramos no ap. Mal entramos, ele fechou a porta e ja começou a passar a mão em meu pau sobre a calça. Eu sem hesitar fiz o mesmo, e ja dava pra sentir que ele tinha um pau maior que a media, uns 19cm eu diria.

Uma coisa que me deixou um pouco amedrontado e com mais tesao ao mesmo tempo, é o fato de que estávamos fazendo tudo com a porta da sacada aberta, e haviam outros prédios à frente, de onde seria facilmente visível para qualquer um que saísse na sacada.

Eu coloquei meu livro dentro da mochila e deixei sobre o sofá. Havia um colchão no meio da sala, e eu sabia que ali seria o local do "abate". Tirei toda a roupa, ele fez o mesmo. O pau dele era do tamanho que eu havia imaginado e estava duro feito pedra, ate parecia um pau de um gurizinho, apontando para cima e eu cai de boca naquele belo pau de cabeça rosada. Uma delicia de pica... aquele dia eu chupei aquele pau como se fosse o primeiro ou o ultimo que chuparia, lambi as bolas e tentei engolir tudo.

Depois eu fiquei de pe e ele de joelhos engoliu meu pau... fez um excelente trabalho. Fizemos um 69 deitados no colchão por mais alguns minutos, até que ele pegou o gel e umas camisinhas no armário.

No momento em que ele me deu o gel, eu soube que ele iria me comer ali, e ainda bem que eu havia me preparado. Eu passei gel no meu cu e comecei enfiando dois dedos para me preparar enquanto ele colocava a camisinha no pau dele.

Ele então deitou sobre o colchão de pau pro alto e eu sentei lentamente, sentindo aquela rola deliciosa e dura feito pedra me penetrar e preencher cada centímetro da minha cavidade, doeu um pouco no começo, mas logo me acostumei e comecei a sentar mais rápido.

Apos isso ele sentou-se, ainda com o pau dentro de mim, colocou minhas pernas sobre os ombros dele, me abraçou forte e começou a bombar, com toda a forca... Eu gemia de dor e tesao, porque ele ia bem fundo, sabia aproveitar cada centímetro daquela pica dura.

Ficamos mudando de posição e ele me comeu por quase uma hora, sem gozar. De quatro, deitado de bruços, de lado etc. Eu estava de pau durão também, porque eu sou versátil, mas quando sou pass, eu fico de pau duro também. Quando eu estava de bruços ele comecçou a bombar mais rápido, ate que anunciou que iria gozar. Eu pude sentir aquele pau bombando leitinho dentro do meu cu, quer dizer, na camisinha, pois estávamos usando, mas ainda assim foi uma sensação deliciosa, saber que alguém esta gozando e sentir o pau dando aquelas contrações...

Apos gozar, ele deixou o pau dentro de mim e bombou mais um pouquinho até parar e repousar com o pau la dentro até amolecer por completo. Dai levantamos, ele perguntou se eu queria gozar também, mas eu ja estava satisfeito, eu tomei um banho, conversamos um pouco sobre a vida, profissão, videos pornô gay etc. Então eu me arrumei e me despedi, pois ainda precisava ir pro trabalho. Aquele dia eu fiquei pensando na transa o dia inteiro e sentindo meu cu ardendo, pois levei pirocada incessantemente por praticamente uma hora, mas eu adorei.

Nunca mais eu consegui falar com esse cara, perdemos o contato e as vezes eu sentia vontade de vê-lo novamente, mas não o encontrei.

Depois disso eu comecei a sair com vários caras do Disponivel.com e apps de pegação, tenho outras historias para compartilhar, talvez a próxima seja de quando eu comi um comissário de bordo gringo no hotel, ou o dia em que levei vara do roludo com 23cm de pica... bem, veremos. Até mais.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Piroca17cm

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente